Cobertura da imprensa sobre a leitura de crianças e adolescentes é tímida

Foi o que revelou uma pesquisa realizada pela ANDI – Comunicação e Direitos, em parceria com o Movimento por um Brasil Literário e o Instituto C&A. A análise constatou que a cobertura dos 40 maiores jornais brasileiros sobre o tema da leitura literária entre crianças e adolescentes ganha importância, mas ainda é pequena.

A pesquisa analisou a cobertura sobre leitura de literatura em 1.489 reportagens, artigos, colunas, editoriais e entrevistas publicados nos mais importantes jornais diários brasileiros entre 2008 e 2009. De um ano para o outro, o número de textos publicados sobre o tema com foco em crianças e adolescentes subiu de 524 para 965.

Apesar do crescimento, os artigos analisados ainda têm um enfoque primordialmente local. As matérias sobre leitura tratam sobretudo de questões de âmbito municipal (56,8% em 2008 e 53% em 2009). No total, 19,7% repercutem ações nas capitais, onde está a maioria dos veículos pesquisados.

Abordagem das matérias

Dos textos analisados, 72,3% restringem-se à descrição de acontecimentos factuais, como eventos ou campanhas. Poucas matérias questionam políticas públicas de incentivo à leitura no país. Apenas 18,2% apresentam causas, 17,2% consequências e 11,3% apontam soluções para os problemas enfrentados na área de leitura literária. A relação entre leitura e indicadores educacionais aparece em 3,4% das publicações. O empoderamento do cidadão por meio da leitura aparece em 2,4% dos textos; a vinculação entre o hábito de ler e indicadores sociais existe em 1% das matérias analisadas; nos indicadores de crescimento econômico, é menor ainda (0,5%).

Banco de Fontes da ANDI conta com especialistas e entidades ligados ao tema

Para garantir a diversidade uma cobertura mais democrática, a ANDI reuniu 75 fontes, entre especialistas e entidades, ligadas diretamente à promoção da leitura literária. O banco de fontes encontra-se acessível no site da ANDI e por é possível procurar as áreas de interesse Promoção da Leitura e Literatura Infantil.

A ferramenta pode ser um importante estímulo para o aprofundamento e diversificação das matérias. Segundo o levantamento da ANDI, na maioria dos textos (59,2%), apenas uma fonte de informação é citada.

Grande parte dos ouvidos em cerca de 30% dos textos analisados são especialistas, autores ou ilustradores. Em 98,4% das matérias não há pontos de vistas plurais.

Fonte: http://www.andi.org.br

Anúncios
Esse post foi publicado em Geral. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s